AGRADECIMENTO – FEIJUCA AMIGA VEGANA



Quintal de São Francisco e seus velhuskos, juntamente com o Santuário Terra dos Bichos e as Porcas Marias, AGRADECEM o comparecimento dos Amigos, Colaboradores, Voluntários, Bazaristas e parceiros na Feijuca Amiga realizada no último domingo (28/05). 

Foi um dia agradável e emocionante. A feijoada estava deliciosa, a música, o ambiente e muito especialmente a presença de pessoas queridas que jamais deixam de prestigiar os eventos do Quintal de São Francisco. 

Quintal de São Francisco - abrigo de cães e gatos idosos e indesejados pela sociedade e que possuem necessidades especiais, inerentes a idade. Hoje as despesas mensais giram em torno de R$10.000,00 e R$12.000,00.

Santuário Terra dos Bichos - mantém acolhidos vários animais retirados de sofrimento e de corredor da morte como as mais de 100 porcas "MARIAS", vítimas do caminhão que tombou no Rodoanel, no ano de 2015. Hoje as despesas mensais giram em torno de R$20.0000,00 e R$25.000,00, sendo que a ONG está na eminência de ter os animais recolhidos pela Vigilância Sanitária por não ter local adequado para despejar os dejetos da porcas. Quem puder continuar ajudando pode contribuir na Vaquinha Online para arrecadar o dinheiro necessário. 

Na FEIJUCA AMIGA VEGAN foram vendidos 110 convites que, somados a venda de refrigerantes, resultaram numa valor líquido de R$1788,40 para cada entidade.


SEM A COLABORAÇÃO DE TODOS NÃO TERÍAMOS REALIZADO ESTE EVENTO. 


Obrigada Cintia Frattini, presidente do Santuário Terra dos Bichos, pela parceria !!!


28/05 - 1º VEIJUCA AMIGA VEGAN

A melhor FEIJOADA VEGANA quem faz é a Cintia Frattini, fundadora do Santuário Terra dos Bichos. Você não pode perder a oportunidade de experimentar esta delícia e ainda ajudar duas ONGs de proteção aos animais.
O Santuário Terra dos Bichos se uniu ao Quintal de São Francisco para fazer a 1º FEIJUCA AMIGA VEGAN, com a finalidade de angariar fundos e manter suas atividades.
No evento também haverá um Bazar com produtos de vestuário, decoração, presentes, bijuterias, doces e bolos, música dos anos 60,70,80 e os produtos da Dog’s Sleep para seus peludos neste inverno rigoroso.

Santuário Terra dos Bichos - mantém acolhidos vários animais retirados de sofrimento e de corredor da morte como as mais de 100 porcas "MARIAS", vítimas do caminhão que tombou no Rodoanel, no ano de 2015.
Quintal de São Francisco - abrigo de cães e gatos idosos e indesejados pela sociedade e que possuem necessidades especiais, inerentes a idade.
28/05 das 12h às 17h – à Rua Teodureto Souto, 592 – Cambuci – Paralela da Avenida Lins de Vasconcelos – CONVITE – R$ 50,00 (venda limitada) 11-2062-8263 ou e-mail quintalfrancisco@terra.com.br

video





Gatos ignoram seu chamado propositalmente



Seu peludo não é o único, gatos tendem a ser esnobes, mas sabe por quê?

Estudantes da universidade de Tóquio testaram a relação entre chamados e gatos. Para isso, pediram a 20 donos de gatos para gravarem a própria voz enquanto chamavam pelo bichinho.

Então visitaram as 20 casas testadas. Quando os donos não estavam perto dos pets, colocaram as gravações para tocar, primeiramente dos donos e depois de outros três estranhos, ambos chamando por eles.

Foi analisada a forma que os bichanos moviam as orelhas, rabo e cabeça, dilatação dos olhos e se mexiam as patas. A resposta era maior quando era a voz dos donos frente às demais gravações. Mas o fato é que os gatos preferiam não sair do lugar.

Em resumo, a pesquisa mostra que os gatos não atendem aos donos quando estão fora do alcance de sua visão, mesmo reconhecendo a voz.

Diferentemente dos cães, gatos não foram domesticados para obedecerem a ordens vindas de humanos. Eles são independentes, o que às vezes é confundido com arrogância.

De qualquer forma, não deixam de ser fofos e apaixonantes.

Fonte: Superinteressante

Gatos: o que está por trás de tanto sono?



Um gato passa quase dois terços da sua vida inteira dormindo, mas tudo isso tem uma explicação!

Os gatos sempre levam a fama de dorminhocos e até de preguiçosos, mas a realidade é bem diferente.

Eles são felinos com um instinto caçador, especialmente durante o período noturno e apesar de domesticados, não perderam essa característica mais selvagem. Isso fica bem claro quando brincam de esconder e atacar ou ao tratar seus brinquedos como se fossem presas.

Quando vemos um gato dormindo, nem sempre é do modo mais profundo. É muito comum vê-los com as patas junto ao corpo e a cabeça erguida, ou até mesmo sentados, sempre em uma posição em que os músculos deem suporte para seu corpo. Nesses momentos eles não estão dormindo profundamente.

Cerca de 70% do sono dos gatos, não é profundo e eles continuam a captar informações do ambiente que os rodeia, como cheiros e sons. Caso percebam algo que lhes despertem a atenção, como o pequeno barulho de um rato ou cheiro de comida, são capazes de acordar instantaneamente.
Já quando estão em profundo sono, relaxam completamente a ponto de que até o funcionamento do seu cérebro chega a mudar. Nessa situação eles já não acordam com tanta facilidade, pois estão mais lentos. Eles bocejam e até espreguiçam para despertar por completo.

PETMAG

Por que animais de grande porte vivem menos do que os pequenos?



Cães grandes têm processo de envelhecimento mais acelerado e tendem a crescer e envelhecer muito mais rápido


Na escala evolutiva, animais de grande porte, de diferentes espécies, tendem a viver mais dos que os de pequeno porte. Agora, entre os de mesma espécie, acontece o contrário.

Cachorros pequenos possuem predisposição a viver de 10 a 14 anos e os grandes de 5 a 8 anos. Eles vivem menos. É triste, mas é verdade.

Os motivos não são totalmente compreendidos, porém, um estudo realizado na Universidade de Chicago revelou as possíveis razões.

A pesquisa avaliou índices de mortalidade do banco de dados médico veterinário de cães que frequentaram os hospitais por toda a América do Norte.

Informações de 56.637 cachorros de 74 raças diferentes foram coletadas. Tipo de raça, sexo, tamanho de porte e data de morte dos períodos de 1984 até 2014.

Conclusão do estudo

Os cães de porte grande possuem processo de envelhecimento mais acelerado, ou seja, crescem e envelhecem muito mais rápido.

São mais propensos a problemas de saúde, tumores, desordens comportamentais e problemas gastrintestinais, todos ligados ao crescimento acelerado.

Independentemente do tempo vivido pelo pet, devemos oferecer condições dignas para ele crescer e viver bem ao nosso lado.

Em troca, você receberá um amigo companheiro, afetuoso e com amor incondicional para oferecer. Vale a pena, não é mesmo?

Dermatite pode ser sinal de estresse



Feridas, coceiras e lambidas compulsivas são sinais de que algo pode estar errado com o comportamento do seu amigo


Muitas vezes o problema de pele no pet pode ser sinal de que o animal está estressado e o problema pode ser psicológico, devemos ficar atentos e reconhecer os sintomas para oferecer um tratamento adequado.

Problemas de pele em pets podem ser mais comuns do que se imagina, mas primeiro a causa deve ser identificada para depois procurar uma solução. O problema de pele cujo culpado é o stress chama-se dermatite psicogênica ou granuloma de lambedura.

Este problema de pele é caracterizado por feridas de aspecto grosseiro e, às vezes, podendo até virar uma ulceração, normalmente é localizada nas extremidades do animal, mas isso não é regra.

Infecções fúngicas ou bacterianas, traumas, alergias, neoplasias, hipotireoidismo, osteopatia entre outros devem ser descartados. Em alguns casos o diagnóstico fica mais difícil, pois as duas causas podem estar associadas.

Assim como nós, os pets ficam tristes e estressados. Eles são seres muito sensíveis aos estímulos externos e qualquer mudança no ambiente ou da rotina os afeta brutalmente. Os donos de pets devem ficar atentos ao comportamento do animal e sempre verificar se há feridas pelo corpo do bichano.

O problema começa com lambidas compulsivas no mesmo lugar, basicamente o animal lambe até virar ferida, e o machucado não cicatriza pois ele continua lambendo. É um problema que afeta tanto gatos quanto cachorros.

Sintomas e sinais da Dermatite Psicogênica

Ferida de placa firme e de aspecto grosso;
Formato da ferida oval e espessado;
Ausência de pelos no local da ferida;

Fatores e possíveis causadores

Tédio;
Falta de estímulo ambiental;
Ansiedade de separação;
Chegada de um novo animal ou bebê;
Alterações da rotina;
Fobia por barulho;

Fatores que predispõem o animal
Predisposição racial;
Estilo de vida;
Natureza do animal ser nervosa;
Tratamento

É de extrema importância levar seu animal ao veterinário para que ele possa ser diagnosticado corretamente e receber o tratamento apropriado.

Cachorros sabem identificar donos mentirosos



Experimento realizado no Japão comprova que cães sabem reconhecer quando estamos tentando enganá-los


Os cães podem parecer bobos ao correr atrás de seus rabos, mas pense bem antes de tentar enganar seu cão, ele lembrará. Um estudo liderado pelo pesquisador japonês Akiko Takaoka, da Universidade de Kyoto, testou a capacidade dos animais em reconhecer a mentira.

Participaram 34 cachorros domésticos. Na primeira rodada, um pesquisador indicava para o cão onde encontrar brinquedos e petiscos. Na segunda vez, o mesmo pesquisador indicava a direção errada dos brinquedos e petiscos. Na terceira, os cães não obedeciam às ordens do pesquisador que mentiu.

Em outra rodada de testes, os voluntários mentirosos foram substituídos por novas pessoas. A primeira parte foi repetida, indicações de um caminho onde estariam petiscos e brinquedos foram dadas e os cachorros seguiram as direções.

Ao conhecer pela primeira vez um humano, os cães depositam um primeiro sinal de confiança. Depois de passado o momento de excitação, eles obedecem e seguem comandos de pessoas que eles já confiam ao observar seus atos. Eles lembram quem os enganou ou não.

Segundo os pesquisadores, os cães possuem uma sofisticada inteligência social, e essa capacidade foi evoluída na convivência dos cães com os humanos ao longo de toda a evolução.

Vejam neste vídeo reações hilárias de cachorros sendo enganados por um mágico:


 

Ração seca ou úmida: qual a opção ideal para seu gato?



Seu peludo tem tártaro ou sofre de problemas renais? Fique de olho nas dicas para escolher a alimentação mais adequada para ele

Quando o assunto é alimentação, sempre surgem dúvidas sobre o que oferecer aos pets. Para os gatos, além da marca e sabor, uma das questões é se é preferível oferecer a ração seca ou ração úmida.

Na verdade, uma não é melhor do que a outra, elas são diferentes e cada uma delas consegue entregar o que o seu gato precisa.

Os alimentos secos, normalmente, são mais baratos e fáceis de armazenar, já que podem ser deixados expostos por mais tempo para que seu gato alimente-se durante o decorrer do dia. Os alimentos úmidos, em sua maioria, parecem ser mais palatáveis aos gatos, logo, são mais fáceis de ser inseridos na alimentação, principalmente se o gato tiver um paladar mais exigente.

Para gatos com tendências a problemas urinários, o alimento úmido é uma boa pedida, pois favorece a ingestão de líquidos e diminui a possibilidade de cálculos renais.

Já para os gatinhos com propensão ao tártaro, a ração seca pode ajudar na manutenção dos dentes. Isso porque o atrito do alimento duro com os dentes promove também uma limpeza – mas não dispensa a escovação.

Os dois tipos de alimento são nutricionalmente completos e oferecem o que o seu gato precisa.

Para esclarecer de vez essa dúvida é sempre bom consultar um veterinário, pois ele é quem vai entender melhor todas as necessidades do seu gato e poder avaliar e indicar a melhor opção para ele.

Cães e gatos pegam gripe de humanos?



Diferentemente dos cães, os gatos podem ser contaminados pelo vírus da gripe de pessoas, já os humanos não são capazes de pegar gripe de gatos


Você sabia que os cães ficam doentes apenas se contaminados por outros cães? Já os gatos estão suscetíveis a pegar gripe ou resfriado de humanos.

Porém, nós não podemos pegar o vírus de gatos. O vírus da gripe acopla-se ao sistema respiratório dos felinos, como acontece em humanos, segundo Scott Weeze, professor de Medicina Veterinária no Canadá. O vírus H1N1 foi encontrado também em gatos nos Estados Unidos, em 2009.

Apenas em 1979, por meio de pesquisas, ficamos sabendo que gatos podem ficar gripados. Para os cães, o mesmo foi atestado somente em 2000.

Essa questão é alvo de pesquisas desde então, pois o vírus da gripe pode modificar-se muito facilmente e precisa ser monitorado de perto.

Os sintomas nos pets são similares aos nossos e incluem problemas respiratórios, coriza no nariz, olhos lacrimejantes e fadiga.

Se você observar sintomas de gripe no seu pet, leve-o ao veterinário e receba orientações para tratamento adequado. E se você estiver doente, procure lavar sempre as mãos antes de tocar no seu bichano.

PETMAG

O enigma por trás dos acumuladores de animais. Amantes ou monstros?



Você já parou para pensar nos motivos que levam alguém aviver com centenas de animais e em condições precárias?

A questão é mais complexa do que se imagina.

Ao imaginar um acumulador de animais, a imagem estereotipada de uma senhora idosa que vive sozinha em meio a milhares de gatos é a mais lembrada.

Esta imagem pouco retrata a realidade. Ela perde-se na figura de homens e mulheres,sem distinção de status social ou idade.

Há casos registrados de acumuladores de gatos e cachorros, mas também existe o caso de uma mulher que tinha muitos porcos, e outra que encomendava castores de outra cidade.

Os casos são impressionantes e, antes de fazer algum julgamento, devemos tentar compreender a situação para, dentro de nosso alcance, tomar alguma atitude.

Os acumuladores, em sua maioria, acreditam que são responsáveis por salvar os gatos e cachorros, mesmo não tendo espaço e comida suficiente. Porém, nem sempre são amantes de animais.

Na maioria das vezes, sofrem algum tipo de desordem psiquiátrica, como transtornos obsessivos compulsivos, por exemplo.

A pessoa não percebe seu problema e oferece resistência para que seus animais sejam levados para serem tratados ou doados. Possuem extremo apego por eles.

Também não reconhecem passar algum tipo de necessidade em criar tantos bichos, mesmo estando óbvio para quem olha de fora.

Os gatos, por serem seres independentes, pequenos e “fáceis” de criar são um dos alvos preferidos dos acumuladores.

Quando há sofrimento animal, sem dúvidas uma atitude deve ser tomada. Você pode contatar uma ONG para eles tentarem dialogar e tratar alguns animais com urgência, mas a responsabilidade é do serviço público.

Portanto, não deixe de avisar as autoridades e a Prefeitura. Veja como denunciar casos de maus-tratos.