7 coisas que você não sabia sobre gatos



Os gatos são uma espécie cheia de mistérios! Descubra agora coisas que você nem imaginava sobre os felinos!


1  - Entre todos os animais, apenas os felinos ronronam e, até hoje, a ciência não consegue explicar o porquê.

Pesquisadores não entendem por que os gatos ronronam. Enquanto alguns acreditam que o ato deronronar esteja ligado a garganta dos gatos, outros levantam a hipótese sobre sua influência nosistema cardiovascular. Isso teoricamente ocorreria porque os gatos têm capacidade de ronronar desde a primeira semana de vida e não alteram suas funções respiratórias (inspiração e expiração) para fazê-lo. De qualquer forma, até hoje, ninguém sabe a função de ronronar.

2 - As patas da frente do gato tem 5 dedos enquanto as de trás têm somente 4

Os gatos são um dos poucos animais que têm uma quantidade diferente de dedos nas patas da frente e de trás.

3  - Gatos não mastigam a comida

Os gatos conseguem engolir e digerir a comida mesmo sem mastigá-la. Diferentemente dos humanos, que movimentam a mandíbula para cima, para baixo e para os lados, os gatos só conseguem movimentá-la para cima/baixo. Sendo assim, eles usam os dentes para rasgar a presa, mas depois engolem os pedaços inteiros sem mastigar.

4  - Gatos usam o bigode para determinar se cabem em um espaço

Gatos não precisam saber o seu peso ou tipo corporal para determinar se cabem em um lugar ou não. Usando somente o seu bigode, ele determina se vai caber tranquilamente ou se vai ficar apertado em um canto.

5  - Gatos sonham igual aos humanos

Assim como os humanos, quando os felinos entram em um estado de sono profundo, eles produzem os mesmos padrões de ondas cerebrais que os seus donos fazem quando dormem.
Gatos gostam de camas confortáveis em lugares aconchegantes e elevados.

6  - Felinos possuem uma frequência cardíaca rápida

O pulso de um gato gira em torno de 160-240 batimentos por minuto, dependendo da sua idade. Quanto mais jovem o felino for, mais rápido tende a ser sua frequência cardíaca.

7  - Gatos vegetarianos podem ficar cegos

Gatos são carnívoros obrigatórios e precisam de carne para sobreviver. Desde o sistema digestivo até o seu jeito de mastigar é especialmente desenvolvido para rasgar e engolir a carne. Dentre os nutrientes presentes em suas presas está a taurina, um aminoácido extremamente importante para esses animais. Sem ela, os gatos podem ficar cegos.

PETMAG

Saúde dos olhos: as doenças mais comuns em cães



Animais de estimação estão sujeitos a problemas de visão que, sem diagnóstico e tratamento corretos, podem levar à cegueira. Confira alguns cuidados básicos para evitá-los


Assim como os humanos, os animais de estimação estão sujeitos a desenvolver problemas de visãoque, se não diagnosticados e tratados a tempo, podem até mesmo levar à cegueira. Aoftalmologia veterinária tem ganhado destaque, se tornado uma importante aliada na busca pelobem-estar dos bichinhos.

Catarata


A catarata é a doença oftalmológica mais comum entre cães e gatos. O cristalino torna-se opaco, dificultando a visão do animal. Por não conseguir enxergar perfeitamente, é comum observá-lo batendo em paredes e objetos, como se estivesse desorientado. O principal sinal clínico do desenvolvimento da doença é a alteração da cor dos olhos do animal, que podem ficar azuladosou esbranquiçados. Os cachorros geralmente desenvolvem a catarata por serem idosos, devido ao desgaste do cristalino. Existe também a chance dos cães manifestarem a doença precocemente, conhecida como catarata juvenil, que ocorre entre os 2 e 4 anos de idade em raças com predisposição genética, como poodle, Bulldog Francês, Cocker Spainel e Lhasa Apso. No estágio inicial, é indicada a intervenção cirúrgica.
Conjuntivite

Assim como nos humanos, a conjuntivite também pode afetar os animais. Ela é caracterizada pelavermelhidão nos olhos e secreção. Corpos estranhos e até mesmo o vento podem acabar causando a doença. Perfumes, alimentos alérgenos e pólen também podem causar sinusite einflamação das membranas mucosas dos olhos. Nos cães, esta doença não é contagiosa e pode ser tratada com colírios e antibióticos prescritos pelo veterinário.

Glaucoma


O glaucoma é outro problema bem comum que afeta os cães. A doença neurodegenerativa é caracterizada pela alta pressão interocular, o que torna o olho maior e com aparência mais“saltada”. É uma doença para a vida inteira, mas pode ser controlada com medicamentos ecirurgia.

Uveíte


A uveíte é a inflamação da camada média do olho do cachorro. Pode ser causada por trauma naúvea ou por bactérias, fungos e vírus. Tem como principais sintomas a dor e vermelhidão. Se não tratada a tempo, pode levar à catarata ou ao glaucoma. O tratamento é feito com anti-inflamatórios receitados pelo veterinário.

Nem todas as doenças oftalmológicas podem ser prevenidas, mas alguns cuidados podem ajudar a saúde dos olhos do seu cão. As lesões podem ser evitadas com cuidados básicos:
  • Fique atento às mudanças no comportamento do animal. Ele passou a ficar mais e locais escuros e está esbarrando em objetos? Procure ajuda de um especialista.
  • Observe o cão. Não é normal que os olhos mudem de cor ou cocem.
  • Na hora do banho, use shampoos próprios para cães.
  • Não direcione o secador diretamente ao rosto para não causar lágrimas em excesso ou machucar os olhos do cachorro.
  • Não deixe pelos caindo nos olhos.
  • Nunca use colírios sem a orientação de um profissional.
  • Evite vento forte nos olhos. Ao passear de carro, não deixe a janela aberta.
  • Visite regularmente o médico veterinário. Ele poderá avaliar como anda a saúde do seu animalzinho.
PETMAG

Truque com pano protege seu cão dos sustos causados por fogos de artifício



Treinadora desenvolveu técnica que promete acalmar cachorros, estimulando a circulação sanguínea e reduzindo as tensões


Mais um fim de ano chegou. Férias, alegria, comemorações e… fogos! Para crianças e adultos, um espetáculo. Para os cães, um tormento.

Conheça agora um jeito simples de amenizar o sofrimento dos peludos pelos barulhos de fogos de artifício nesta época do ano. A técnica desenvolvida pela treinadora Linda Tellington-Jones consiste em atar um pano ao redor do cão, estimulando a circulação sanguínea ereduzindo as tensões e irritação.

Tome nota de como fazer: use faixa de um tecido macio e firme, enrole o cão de modo que a atadura envolva o peito e o dorso, finalize dando um nó na região da coluna.

Precisa de um diagrama para entender melhor? Aí vai:






Mas por que a técnica funciona? A pressão exercida sobre o cão faz com que seu corpo e menteentrem em harmonia, dando-lhe sensação de segurança e, consequentemente, deixando o cão mais tranquilo. O efeito varia de cachorro para cachorro e de acordo com o nível de fobia que ele possui.

E você, já usou esta técnica em seu cão? Conte para a gente a sua experiência!

PETMAG

Hábito de comer papel pode provocar bloqueio intestinal em cães



Vários pets têm mania de comer ou destruir papel e papelão, mas esse comportamento que parece inofensivo pode trazer diversos perigos à saúde

Seu cão come papel? Cuidado, ele pode estar indo em direção a uma cirurgia intestinal e com o bônus de uma grande despesa financeira.

A principal preocupação são os resíduos do banheiro e do lixo: absorventes higiênicos e toalhas de papel podem ficar alojados em intestinos de cães, causando um bloqueio que requer cirurgia para corrigir.

Prisão de Ventre

A complicação mais grave de seu cão comer toalhas de papel é o bloqueio do estômago ou do trato intestinal. Isto pode levar a dor e até mesmo a morte, como resultado da sua incapacidade para digerir a toalha de papel. Sinais de bloqueio incluem perda de peso, dificuldade para comer,extrema sensibilidade no torso e inchaço. Seu veterinário irá executar testes para determinar onde o bloqueio é e agir em conformidade, quer com medicação ou cirurgia.

Azia

Um efeito colateral menos grave é uma dor barriga, que é resultado do sistema digestivo “passando” a matéria estranha. Em alguns casos, o seu cão pode vomitar as toalhas de papel.

Ajuda veterinária
Se seu cão comeu toalhas de papel, chame seu veterinário imediatamente. Ele pode informá-lo como proceder. Se o seu cão continuar a comer toalhas de papel, apesar de seus melhores esforços, visite o seu veterinário para determinar a causa raiz do comportamento. O veterinário também pode recomendar ajustes comportamentais ou especialistas que podem ajudar.

Dicas de prevenção
Do ponto de vista prático, negar o acesso do cão para quaisquer produtos de papel vai ser inconveniente para você, pois pode significar colocar toalhas e papel higiênico em uma prateleira alta ou em um armário. Também mantenha lixeiras bem seladas e fora alcance.

Os cães gostam de atenção, seu pet pode estar mastigando toalhas de papel como uma forma dejogo ou passatempo. Compre alguns brinquedos de morder ou com sabor, pois isso pode ajudar comportamento mastigação direta em outros lugares.

Passear e exercitar bastante seu cachorro, se ele estiver cansado quando você não estiver em casa (hora habitual de ele fazer travessuras) ele não vai ter energia para comer o papel.

Depois de negar o acesso a papeis por vários meses, e o problema ter ido embora, você pode muito gradualmente tentar reintroduzir produtos de papel.

PETMAG

7 maneiras criativas de ajudar associações de animais



A ajuda aos animais não necessariamente é feita somente com doação de dinheiro e ração, existem outros jeitos de ajudar

Uma ONG que ajuda os animais passa por muitas dificuldades, e você pode ajudar mais do que você imagina.

A falta de dinheiro não é uma desculpa para não ajudar, o dinheiro é somente uma das coisas que a instituição precisa (é bem importante, é claro, pois contribui para pagar os impostos, comprar o que é prioridade no momento). Mas existem muitas outras maneiras de ajudar. Abaixo nós mostramos para vocês 7 dicas que vão muito além do dinheiro

1 – Divulgar a ONG
Pendurar cartazes ou distribuir panfletos sobre eventos ou fotografias de animais para adoção em clínicas veterinárias, lojas para animais, parques ou cafés. Compartilhar no seu perfil do Facebook, Pinterest, Twitter ou outras redes sociais fotografias de animais que estejam para adotar, ou os eventos das mesmas.

2 – Ideias para arrecadar dinheiro
Aproveite eventos com amigos para angariar materiais para doar. A sua festa de aniversário, casamento, eventos na escola ou no trabalho são oportunidades para pedir aos teus amigos, familiares ou colegas que levem materiais para doarem a uma associação. Eles necessitam de jornal, produtos de limpeza, ração, panos para limpeza, cobertores, remédios, brinquedos, e muito, muito amor.

3 – Transportar animais
Tem um carro? Então é possível ajudar uma associação. Muitas vezes é necessário transportar os animais, por exemplo, a consultas no veterinário. Ao doar um pouco do tempo e carro, transportando os animais, você ajuda muito.

4 – Passear com cães e dar carinho a gatos
Muitas vezes, as associações têm poucas pessoas para exercitar os animais e socializar com eles. Se você gosta de cães que tal passar uma hora da semana (ou mais!) para passeando com alguns? Ou mesmo brincando. O tempo de brincadeira tem enormes benefícios psicológicos e físicos para os animais que estão à espera de ser adotados. Se você gosta mais de gatos, não tem problema, eles também precisam se socializar! Carinho, brincadeira e interação com pessoas ajudam a prepará-los para a sua nova casa, quando forem adotados

5 – Doar materiais
Se você tiver algo em casa que não precise mais, pense se não será útil para alguma ONG de animais. Por exemplo, sofás, almofadas, mantas, toalhas, blusas velhas, brinquedos, pelúcia podem ser utilizados. Fique atento se algum amigo ou familiar também não está descartando este tipo de coisa também.

6 – Usar os teus talentos especiais
• Costura: Crie brinquedos caseiros ou panos para camas, utilizando camisetas, jeans ou cobertores antigos. Costure “Adote-me” em coletes ou lenços para que os animais que estão para adoção usem em feiras e eventos.
• Contabilistas e advogados: Seja voluntário para deixar toda a ONG organizada e dentro da lei.
• Web designers e profissionais de marketing: As associações precisam de atualizações constantes nos sites e mídias sociais como por exemplo, colocar informações sobre animais para adotar, eventos, pedidos de doações ou apenas dar um aspecto profissional ao site.
• Fotógrafos: Imagens de alta qualidade fazem uma grande diferença na rapidez com que os animais são adotados.

7 – Família temporária
Estar num canil ou gatil pode ser muito estressante e triste para os animais, além disso são locais que enchem muito rápido. Encontrar casas temporárias enquanto os animais estão à espera de ser adotados abre espaço para animais que acabaram de ser resgatados. Esta pode não ser uma maneira muito fácil de ajudar, mas poderá ser uma das mais importantes.

Por que você deve tirar agora o guizo da coleira do seu gato?



O sininho pode ser muito incômodo para seu animal e atrapalhar a natureza de caça do bichano


Seu gato usa coleira? Ao procurar uma opção em pet shops, as mais bonitas costumam ser aquelas com guizos pendurados. Por facilidade ou convenção, a maioria das pessoas acaba deixando o sininho ali, gostando do som que ele produz ou apenas para saber “onde o gato está”. Só que, para os bichanos, o barulhinho pode ser muito incômodo.

Por conta do instinto caçador, eles não podem deixar que a presa saiba onde ele está, o que vai totalmente contra a natureza dos gatos. Este é o mesmo motivo que os faz amar esconderijoscomo armários, gavetas e caixas. Assim, aos poucos, o barulho do sininho os transforma emanimais frustrados e nervosos. Pense se fosse com você: cada passo seu faz um barulhinho bem perto da sua orelha. Você pode até desistir de tentar tirar o guizo do próprio pescoço, mas não quer dizer que não incomoda, não é?

Então qual o motivo das coleiras possuírem guizos? A ideia antiga era justamente que os gatos que ficassem soltos na rua não matassem ratos ou pássaros. Mas não é bem assim. Uma pesquisa da instituição britânica British Trust for Ornithologists (BTO) mostrou que com o tempo os gatosaprendem a caçar sem soar o guizo, e que para ele continuar sendo eficiente o modelo precisaria ser trocado periodicamente.

Mas a BTO tem uma solução melhor para manter pássaros vivos e gatos menos irritados: coleiras chamativas (sem guizo) de cores brilhantes: laranja forte, rosa neon, que vão se destacar na paisagem e alertar os pássaros do perigo de maneira eficiente.

Algumas coleiras até refletem a luz de faróis e ajudam a evitar atropelamentos, um dos muitosriscos frequentes na rua. E a melhor parte é: o gato não vai ver a cor brilhante no pescoço dele, e vai continuar andando por aí da forma como foi feito para andar, de maneira silenciosa. E claro que se seu gato vive seguro dentro de casa, não existe essa preocupação e você pode simplesmente tirar aquele guizo da coleira e usá-lo para fazer um brinquedinho.

Outro alerta vai para o tamanho do acessório: menos é mais. Quanto ao material, prefira aqueles que não machuquem o pet, como o náilon, que resiste mais tempo; e o couro.  Os gatos, especialmente, precisam de coleira que tenha elástico para permitir movimento. Vale lembrar que eles sobem em árvores há risco de o felino ficar preso pelo acessório, por isso opte sempre por modelos que se soltem do pescoço ao aplicar uma determinada pressão.

PETMAG

Seu cão fugiu? Não o persiga, apenas deite no chão!


Correr atrás de um cão em fuga pode parecer a melhor ideia, mas logo você descobrirá que ele corre mais rápido que você. O que fazer neste momento?

Quem tem um cão que gosta de passear já deve ter passado por esta situação: ele se solta e corre muito rápido. Você vai atrás dele, chama, implora e ele não volta, certo?

O problema é que, na maioria dos casos eles correm muito mais rápido que nós, e, por instinto,fugirão ainda mais enquanto alguém tentar persegui-los. Isso afeta a sua segurança e a de seu mascote, que pode sofrer um acidente.

O que os adestradores e especialistas recomendam nestes casos é simplesmente parar e deitar no chão. Seu cachorro achará esquisito e irá ver se está tudo bem, ou descobrir o que você está fazendo. Caso você esteja em um espaço público e não queira se deitar, há também a opção de correr no sentido contrário. Isso mesmo! Correr na direção oposta a do cão. O instinto agirá novamente e, em alguns casos, ele passará a correr atrás do dono, como uma caça de brincadeira.

Se ainda assim seu cão não voltar e você estiver perto de seu carro, apenas abra a porta e pergunte se ele quer dar uma volta, ou se gostaria de um petisco. Às vezes, a solução pode ser mais simples do que parece!

Fonte: No Dog About It Blog

Hora do check-up: pets também precisam visitar o veterinário regularmente



Assim como os humanos, animais de estimação devem ter uma rotina médica

Com a ideia de que ano novo significa vida nova, muitas pessoas aproveitam a época para fazer umcheck-up conferir como anda a saúde. Mas a prática deve se estender também aos nossosanimais de estimação.

De acordo com Luciana Orsi, médica veterinária e professora da Faculdade Anhanguera de Campinas, prestar a atenção nos cuidados com a saúde do animal é a melhor maneira de garantir uma vida plena e cheia de energia para os pets. Nas consultas, o veterinário analisará as condições físicas do animal, podendo inclusive detectar doenças graves, como tumores,precocemente.

Nesse tipo de consulta, são feitos exames clínicos e exames de sangue, verificando inclusive o funcionamento de rins e fígado. Para a professora, o ideal é que as visitas ao veterinário sejam feitas semestralmente, podendo ser mais frequente em casos de doenças preexistentes oucrônicas.

O tutor deve ficar atento, pois as vacinas do animal devem estar em dia. “A vacina antirrábica e as polivalentes virais são as mais importantes e não devem faltar no cuidado dos pets. As demais são adjuvantes. Para cães a V10 confere um excelente proteção e para os gatos a quadrupla felina é suficientemente eficaz”, conta a professora. Além disso, é verificado se o animal apresentaparasitas, como pulgas, carrapatos e vermes.

O peso também é monitorado para garantir a saúde do animal, já que muitos donos não sabem lidar com algumas armadilhas, como a carinha de “pidão” do cachorro. “Muitos donos acabam oferecendo parte do seu próprio alimento por acreditar que o animal ficará com vontade. Além da informação não proceder, o ato pode representar um grande risco para a saúde, já que muito do que comemos pode não ser bem absorvido pelo organismo deles”, alerta Luciana. Procurar o auxílio de um especialista é necessário para saber qual o tipo e quantidade de alimento deve ser oferecido a cada espécie.

A saúde bucal também merece atenção, já que 80% dos animais com mais de três anos apresentam problemas dentários. Segundo ela, os animais podem desenvolver doenças graves na boca, como a perda de dentes importantes para a mastigação, dificultando a mastigação e alimentação. “Há estudos comprovando a relação direta com casos de tumores em cavidade oraldevido à cronicidade de doenças dentárias”, conta. A professora salienta a importância dahigienização bucal com escovações diárias e limpeza periódica dos dentes, feita por um veterinário.

Em casa, o cuidado com o ambiente também é essencial. Eles devem ser mantidos em ambientes limpos e arejados, com água fresca sempre à disposição e muito carinho. Então, é só aproveitar todos os benefícios da companhia de um amigo de quatro patas.

PETMAG

Por que os cachorros lambem seus donos?



O hábito pode ter várias explicações, entre elas que os cães gostam do sabor de nossa pele

Quem tem cachorro sabe: ser recebido por eles com lambidas é tudo de bom. Podemos sentir naquele gesto a demonstração de amor e carinho. Mas, quem acha que o pet usa a lambida só para indicar afeição, está enganado.

A lambida dos animais pode ser uma forma de chamar atenção, de demonstrar submissão e, em alguns casos, eles também podem fazer isso por gostarem do sabor da nossa pele. Entenda melhor o que significam esses “lambeijos”.

Motivos que estimulam as lambidas

Essa forma de carinho usada pelos cães é instintivamente ligada à sua relação com a matilha. Ao nascerem, as mamães dos cachorros lambem seus corpos para limpar a placenta e colocar o seu cheiro no filhote. Desta forma, os pequenos peludos, ao se cheirarem, perceberão que são damesma família. Esse hábito percorre suas vidas e, ao lamberem outros de sua própria espécie, estão indicando que gostam daquele cãozinho.

Lambidas como forma de atender chamados

Eles lambem o queixo de suas próprias mães, quando filhotes, pedindo alimento. Assim ainda o fazem quando são adotados, desta vez com os papais humanos. Um cão pode lamber o seu tutor para conseguir a atenção dele. Isso ocorre quando o pet já sabe que, ao lamber o dono, ele vai responder a esse chamado. Se você, por algum motivo, não gosta das lambidas, busque não atender aos chamados do peludo. Caso contrário, você estará dando motivos para que ele continue usando essa técnica.

Lambidas de boas-vindas

Se você é daqueles que passa um bom tempo fora de casa, chegando só no final do dia, vai saber muito bem o que é reencontrar o seu pet e receber dele uma série de lambidas de boas-vindas. Essa atitude comprova a relação de afeto que o cachorro tem com você e o quanto ele aprecia a sua volta para casa. Nesse momento, além dos “beijinhos”, o peludo aproveita para cheirar suas mãos e roupas no sentido de saber por onde você esteve.

Lambidas de reverência

Além disso, os cachorros gostam do sabor levemente salgado que a pele humana tem. Assim, fazem um carinho no seu dono e ainda aproveitam para saborear o gostinho que a nossa pele proporciona. Os cães podem lamber o dono como uma forma de reverência por ele ser o “manda-chuva” do pedaço.

Fonte: Clube para Cachorros

Por que animais de grande porte vivem menos do que os pequenos?



Cães grandes têm processo de envelhecimento mais acelerado e tendem a crescer e envelhecer muito mais rápido

Na escala evolutiva, animais de grande porte, de diferentes espécies, tendem a viver mais dos que os de pequeno porte. Agora, entre os de mesma espécie, acontece o contrário.

Cachorros pequenos possuem predisposição a viver de 10 a 14 anos e os grandes de 5 a 8 anos. Eles vivem menos. É triste, mas é verdade.

Os motivos não são totalmente compreendidos, porém, um estudo realizado na Universidade de Chicago revelou as possíveis razões.

A pesquisa avaliou índices de mortalidade do banco de dados médico veterinário de cães que frequentaram os hospitais por toda a América do Norte.

Informações de 56.637 cachorros de 74 raças diferentes foram coletadas. Tipo de raça, sexo, tamanho de porte e data de morte dos períodos de 1984 até 2014.

Conclusão do estudo

Os cães de porte grande possuem processo de envelhecimento mais acelerado, ou seja,crescem e envelhecem muito mais rápido.

São mais propensos a problemas de saúde, tumores, desordens comportamentais e problemas gastrintestinais, todos ligados ao crescimento acelerado.

Independentemente do tempo vivido pelo pet, devemos oferecer condições dignas para ele crescer e viver bem ao nosso lado.

Em troca, você receberá um amigo companheiro, afetuoso e com amor incondicional para oferecer. Vale a pena, não é mesmo?