Curiosidade: por que as pupilas dos gatos são verticais?



O formato de fenda das pupilas felinas dá a elas a capacidade de variar até 300 vezes o seu tamanho, uma habilidade que ajuda e muito na hora de caçar

Todo mundo sabe que as pupilas de humanos trabalham em um movimento de contração e relaxamento de acordo com a luminosidade dos ambientes. Lugar claro, elas se fecham para que não passe muita luz. Lugar escuro, elas se dilatam para que possam captar mais luz. É um mecanismo que a gente não controla, como um reflexo. Com nossos amigos felinos, a história é a mesma, mas com diferenças sensacionais!

Segundo a Universidade Berkeley, nos Estados Unidos, as pupilas em formato de fenda que os gatinhos têm se alteram de 135 a 300 vezes no movimento de contração e dilatação. Já as nossas – reles mortais que somos – não passam de 15 vezes.

Por termos hábitos diurnos, nossas pupilas não precisam se adaptar a diversas condições de luz. Com os gatos, o negócio muda: eles são mais ativos à noite, e, graças à capacidade de suas pupilas, qualquer iluminação já faz com que enxerguem bem. Uma habilidade sem igual para caçadores natos como eles.

As pupilas verticais, com formato de fenda, estão presentes também nos olhos de cobras e crocodilos, que são capazes de perceber a profundidade e o foco com mais sensibilidade. Azar de suas presas…

Já os cavalos e veados têm pupilas horizontais para que consigam ver um campo panorâmico expandido, mesmo com a cabeça baixa enquanto comem. Assim, eles podem ver os predadores à distância com o mínimo de pontos-cegos.

Pessoas acima do peso tendem a ter cachorros gordinhos



As pessoas e seus pets podem compartilhar características semelhantes, a obesidade é uma delas


Um cachorro com o peso acima do normal tem chances maiores de desenvolver uma série de doenças, o que pode impactar negativamente em sua longevidade. O cachorro não precisa estar necessariamente obeso para apresentar problemas, alguns quilos a mais já começam a prejudicar.

Os motivos para o sobrepeso podem ser diversos, tutores com sobrepeso tendem a mimar mais seus cães com comida e subestimam o peso de seu pet. Muitas pessoas dão o que estão comendo para seus cães, logo, pessoas que comem mais gordura, dão mais gordura para seus animais.

Mas dentre as muitas causas para a obesidade, a mais normal é o desequilíbrio entre a ingestão de comida e a quantidade de energia gasta. O excesso de energia acaba sendo armazenado como gordura. Mesmo que a ingestão de calorias diminua, o cachorro pode ainda assim continuar obeso.

Por isso se você quer que o seu cachorro tenha uma vida longa e saudável ao seu lado, é importante mudar alguns hábitos:

  • Passear com seu cão todos os dias (o mínimo desejado é 10 min, mas alguns cães precisam de pelo menos 30min para manterem a forma);
  • Diminuir petiscos (não dê o que você come para seu animal);
  • Se quiser dar petiscos, invista em frutas e verduras (cenouras em pedaços são ótimos!);
  • Se o grau de obesidade for intenso, invista em rações especializadas em redução de peso.

Problemas emocionais podem causar doenças mentais nos cães



Apesar de serem conhecidos pelo comportamento brincalhão e feliz, cães também podem sofrer de doenças mentais, causadas por fundo emocional.

O cachorro de uma das irmãs do consultor comercial Farlley Vieira morreu em decorrência de uma depressão. “Meu pai ficava muito em casa e fazia companhia para ele. Mas quando ele mudou de cidade, o cachorro simplesmente não queria mais comer. Foi levado ao veterinário e fisicamente não tinha nada, mas se recusava a comer qualquer coisa. Minha irmã tentou tudo que pode, mas ele foi perdendo peso e pelo, até que não resistiu”, lamenta.

O que aconteceu com o cachorro da família serviu de alerta pra Farlley, que agora redobra os cuidados com seu novo amigo, o Bóris. O cão, de apenas três meses, não pode sair para passear por não ter tomado ainda a última dose da vacina que garantirá proteção contra doenças. Por essa razão, o bem-estar físico e mental do filhote é garantido por meio de carinho e brinquedos, dados a ele para que possa se distrair.

“Ele já é um cãozinho tranquilo, não é de ficar chorando, nem faz bagunça em excesso, só o normal que animal faz mesmo. Mas minha maior preocupação é quando vou para o trabalho e ele fica sozinho, por isso deixo brinquedos por perto, para que ele tenha como relaxar. Acredito que tem dado certo, porque os vizinhos contam que ele não chora quando fica sozinho”, conta.

O veterinário João Ephraim Ferreira recomenda lazer e diversão por meio de brinquedos como forma de aliviar a carga de estresse dos cachorros. Entretanto, isso não basta quando o assunto é o desenvolvimento de problemas emocionais. Para que os cães não sejam afetados por doenças psíquicas é preciso observar por completo o ambiente em que ele vive, o que inclui o comportamento do tutor.
“Se o tutor é uma pessoa ansiosa, o animal tende a ser também; se o tutor é uma pessoa agressiva, o cão dele tem chances de também ser. Os animais assimilam muito do comportamento de quem cuida deles. Além disso, os transtornos também podem ser causados se não forem observadas as características de raça. Se a raça é de um animal agitado ou caçador, o cão vai ficar estressado se não tiver espaço para gastar energia”, diz.

Cachorros que não estão inseridos em ambientes adequados podem desenvolver estresse, fobias ou depressão. É o que explica o veterinário, que alerta sobre os principais sintomas, entre eles ficar arredio, latir demais, demonstrar inquietação, perda de apetite, não dormir direito ou dormir em excesso. Para solucionar esses problemas é preciso que os tutores investiguem as possíveis causas e busquem minimizá-las, oferecendo momentos de lazer ou promovendo mudanças que acalmem os cães.

A empresária Mariana Reis é responsável por um cachorro com problemas mentais. Pirata, como é chamado, não consegue socializar com outros cães, permanece deitado na maior parte do tempo, não reage ao ouvir a campainha tocar, nem tenta escapar caso veja o portão aberto. “Ele só tem reação quando encosta nele, pois não gosta. Para dar banho, eu mal posso enxugá-lo direito, só encosto a toalha de leve e depois coloco duas a três toalhas na cama dele”, conta ela ao G1.

Maus-tratos sofridos antes de ter sido resgatado das ruas podem ser a causa do comportamento de Pirata, apesar da tutora acreditar que ele já tenha nascido assim. Porém, independente da razão que tenha o levado a ser um cão arredio, Mariana se esforça para não causar desconforto ainda maior a ele e deixa sempre os objetos com os quais ele está familiarizado no mesmo local, para que não seja causado mais estresse pela mudança.
Dicas

Antes de adotar um animal é importante observar se o local disponível para ele é um ambiente adequado, que não irá incentivar o desenvolvimento de possíveis doenças mentais.

O veterinário João Ephraim pontua que cachorros de raças como labrador, golden e beagle possuem muita energia e, por esse motivo, precisam de espaço. 

Entretanto, não são apenas os cachorros de porte médio e grande que podem se estressar em ambientes pequenos, a raça pinscher, de pequeno porte, também pode ter problemas. Cães das raças maltês, shitzu e lhasa se adaptam melhor à lugares menores. No entanto, independentemente de qual seja a raça ou da ausência dela, cachorros precisam de passeios frequentes, especialmente quando vivem em casas com pouco espaço.


R I F A - AÇÃO ENTRE AMIGOS – GANHE UMA MOTO MODELO DAELIM VS 125



O Quintal de São Francisco ganhou uma Moto Modelo DAELIM VS 125


  • Ano 1998
  • Gasolina
  • Cor Vermelha
  • Apenas 44 mil Km
  • Documentação perfeita 
Como funciona?

VOCÊ concorre com 5 (cinco) centenas – 5(cinco) CHANCES de ganhar a Moto.


Valor de cada Ticket?

R$ 50,00 cada ticket com 5 (cinco) centenas


Quando será o sorteio?

Dia 28 de Outubro/2017 pela Loteria Federal


Quantos números?

1000 números distribuídos em 4 (quatro) talões de 50 tickets

Talão nº 01 - Talão nº 2 – Talão nº 3 - Talão n° 4 (veja nas duas planilhas abaixo)


Como adquirir seu ticket?

Ligando 11-2062-8263

2ª a 5ª feira das 9 às 12h e das 13 às 17h.

Sábados das 9 às 12h.

Na página do facebook, aqui

No site, aqui


Como pagar?

Banco Bradesco – agência 3130-5 – Conta Corrente 21.348-9

CNPJ – 53.760.104/0001-60

Quintal de São Francisco

Encaminhar um email com o comprovante de depósito para quintalfrancisco@terra.com.br















Quais os cães que menos latem?



Se você quer um companheiro, mas não gosta muito de latidos, confira a lista de raças mais "silenciosas"

Pessoas que moram em apartamentos ou em locais com vizinhos sensíveis a barulho, muitas vezes preferem um cão que não lata muito, para evitar contratempos e reclamações sobre o cãozinho.
Se você procura um cão que lata pouco, confira essa lista e escolha o seu amigo ideal. Lembrando sempre que cada cão é um cão, então, mesmo estando na lista dos cães que menos latem, alguns deles podem não seguir essa regra.
Ao clicar no nome de cada uma das raças, você vai conhecer um pouco mais sobre ela.

Como ter um gato bem educado?



por André Rosa

Diferente dos cachorros, os gatos convivem com os seres humanos há menos tempo e, talvez por este motivo, ainda gerem tantas dúvidas a respeito de seu comportamento em diferentes situações. Nos últimos anos, ouvi uma série de queixas de pessoas acostumadas com cães que acabaram adotando um gato, mas não sabiam como cuidar dele da maneira correta. Sempre digo aos meus clientes que enfrentam este tipo de situação que eles precisam deixar de tratar estes animais como se fossem da mesma espécie. Este é o primeiro passo para que tudo dê certo!

Muita gente acredita que os gatos são seres extremamente independentes e que não gostam de interagir com seus donos, mas isso não é verdade. É preciso entender como o gato “funciona” e levar em conta seus instintos para podermos explorar o que há de melhor nesta espécie tão cheia de mistérios. Caçadores por natureza, os felinos domésticos acabaram se adaptando à vida oferecida pelo homem, mas mudanças simples na forma como os tratamos são capazes de melhorar ainda mais nossa experiência com eles.

É bastante comum que os gatos domésticos tenham comida sempre à sua disposição e não façam nenhum tipo de esforço para conseguir um petisco ou agrado. Com os meus, porém, tentei algo incomum. Passei a estimulá-los a encontrar o alimento por meio de brincadeiras e jogos variados. Como resultado, consegui ensinar meus gatos a confiarem em mim a ponto de hoje poderem passear de coleira ao meu lado pelos shoppings de São Paulo.

Ao entender que gatos não suportam sujeira, sempre deixo suas caixas de areia extremamente limpas e nunca tive problemas com necessidades feitas fora do lugar. Ao invés de deixá-los soltos 24 horas por dia dentro de minha casa – hábito que muitas vezes gera a destruição de móveis -, passei a restringir o local em que ficam por algumas horas e tive como retorno animais mais calmos e interessados em tudo o que proponho.

Você também pode fazer o mesmo com o seu felino. Que tal tentar?



PETMAG

Ginástica para o cérebro pode melhorar relacionamento entre dono e pet



por André Rosa

A neuróbica, apesar de incomum, é um método que trabalha a mente, os sentidos e instiga os instintos dos animais, usando-os a favor da educação e da disciplina


Pouco se ouve falar sobre neuróbica, mas a verdade é que este pode ser um método muito vantajoso e eficaz no relacionamento entre dono e animal. Apesar da prática ainda ser incomum quando falamos de pets, posso dizer que tenho obtido resultados realmente incríveis e em pouquíssimo tempo.

Mas, afinal, o que é neuróbica? Neuróbica, em definição, é uma espécie de “ginástica para o cérebro” que visa um maior desenvolvimento da mente a partir da exclusão dos atos mecânicos e/ ou condicionados. De maneira geral, a neuróbica trabalha com diferentes sentidos ao mesmo tempo enfatizando cada uma das ações por meio de “exercícios” específicos.

Concentração, memória e sair da mesmice são alguns dos postos-chaves deste método que venho colocando em prática na educação de meus animais. Com a neuróbica, não introduzo ações novas à vida dos bichos, mas dou uma nova percepção daquilo que eles já fazem.

Exemplo: na alimentação, não deixo sempre que os bichos comam em suas tigelas de forma monótona e sem assimilarem esse ato a algo mais produtivo. Com os gatos, especialmente, os estimulo a andarem pela casa, subirem escadas ou realizarem algum outro tipo de movimento durante a refeição. Isso, além de tudo, instiga seus instintos naturais – algo comumente deixado de lado por nós, humanos.

Diversos estudos afirmam que a neuróbica, para seres humanos, faz com que desenvolvamos nossas habilidades motoras e mentais de modo diferenciado, pois nosso cérebro passa a criar novos padrões na atividade dos neurônios – e isso certamente é o que também acontece com nossos pets.

Contrariar a rotina e, com isso, obrigar o cérebro a “pensar diferente” é bastante simples, especialmente para os animais – que se habituam melhor e bem mais facilmente às novidades e mudanças no dia a dia. Fique ligado e, em breve, darei dicas do que pode ser feito com seu bicho, na sua casa.


PETMAG

9 cuidados com seu cão na hora do passeio



por Andressa Gontijo


A hora do passeio é a mais feliz para um cão, pois além de ele fazer suas necessidades, ainda aproveita para se socializar, desestressar e se divertir.

Mas você sabe com o que deve preocupar durante um passeio?

Aqui estão os nove itens que você ou seu passeador deverão sempre ficar atentos:

Qual o grau de energia de seu cão: Cachorros muito ativos precisaram de uma caminhada mais longa e intensa para que possam gastar a energia, porém temos que nos preocupar em dobro com os cães com baixa atividade, já que poderão ser idosos, ou de raças que não aguentam uma caminhada tão intensa.

Tempo de caminhada: cuidado, se seu cão não caminha muito tempo e de repente você resolve que ele precisa caminhar muito. Todo animal precisa de um preparo, assim como nós, começar com caminhadas curtas e, aos poucos, ir aumentando é o ideal.

Escolha o horário certo: procure sair com seu cão nos horários de sol mais leve. Evite passear entre 10h e 16h, quando – no verão – o sol aquece muito o asfalto, podendo causar queimaduras graves nas patinhas do seu amigo.

Hidratação e proteção solar! Fique de olho no comportamento do seu cão. Ofereça pausas para um pouco de água, levando sempre uma garrafinha com você. Também não se esqueça de protegê-lo do sol, no caso dos animais de pelos claros. Pergunte ao seu veterinário sobre os filtros solares mais indicados ao seu cão.

Atente-se a outros animais na rua, assim como pessoas e crianças: enquanto você caminha com seu cão, sua atenção deve estar voltada a ele e aos demais que passam por você. Nunca saberemos quando o cão irá estranhar algo ou alguém, assim como também não sabemos se chegará algum animal perto que possa estranhá-lo. Ficar atento a tudo a sua volta e às reações de seu cão é extremamente importante.

Raças que precisam de focinheira:
para algumas raças como o pit bull, por exemplo, é obrigatório o uso de focinheira. Cuidado na escolha do acessório, que deve deixar a boca do animal abrir para colocar a língua para fora. Focinheiras que fecham por completo a boca do cão não são para caminhadas, e sim para contenção em procedimentos veterinários.

Cuidados com a saúde do seu cão: sempre monitore a saúde do seu cão como rotina, porém cães que passeiam deverão receber cuidados ainda mais especiais quando em relação aos vermífugos, vacinas e antipulgas. Sempre esteja com tudo isso em dia.

Coleiras: saber escolher a coleira certa para seu cão é muito importante, não escolha pela beleza, e sim pela funcionalidade. Cães que puxam demais não podem usar peitorais, assim como cães que com problemas de coluna não devem usar as de pescoço. Peça a orientação do veterinário para ajudar nessa escolha correta.

Ele está feliz? O passeio serve para deixar seu cão feliz e voltar para casa mais tranquilo. Aproveite esse momento para desestressar também, e fazer um bom exercício!




PETMAG

FÉRIAS: 9 dicas para escolher o lugar certo para o seu pet



Veja aqui algumas questões para pensar antes de fazer a escolha:

Meu pet é um cão muito novo ou muito velho: Para animais muito jovens que ainda não estão com todas as vacinas, o ideal é que ele fique dentro de sua casa e receba os cuidados lá. Os idosos, por sua vez, não querem muita bagunça por perto. Indicação: Pet Sitter

Meu pet é um cão adulto cheio de energia:
Animais com muita energia precisarão de bastante cuidado. Para eles, o ideal é, ou que estejam em casa e recebam cuidados várias vezes por dia, ou hospedem-se em um hotel. Indicação: Pet Sitter ou Hotel

Meu pet é um cão e tenho receio de que ele pegue doenças, pulgas e carrapatos: Bem, neste caso, o ideal é que ele fique dentro de sua casa e receba os cuidados lá. Mesmo em hotéis onde os animais não ficam com grande contato, essa possibilidade existe. Ainda que estejam com antipulgas, os pets poderão carregar pulgas e carrapatos vivos e disseminar para os outros hóspedes. Indicação: Pet Sitter

Meu pet é um cão muito carente, que não fica nunca sozinho: O ideal para ele será a hospedagem domiciliar (o animal ficará hospedado na casa de alguém) ou até mesmo em hotéis, porém certifique-se de que na hospedagem domiciliar a pessoa irá ficar com o pet de verdade. Muitas pessoas que dizem fazer hospedagem domiciliar, colocam diversos cães em uma mesma casa, e o dono da casa passa o dia todo fora, trabalhando, enquanto os animais ficam lá. Tenha certeza do local que você está deixando seu pet. Indicação: Hospedagem domiciliar ou Hotel

Meu pet é um gato bastante brincalhão e sociável: Mesmo seu gato sendo sociável, não significa que ele ficando em um hotel ou algo do tipo irá ficar bem. Para os felinos, um local novo, com uma nova rotina, é sempre bem estressante. Claro que alguns até ficam bem, porém a maioria dos felinos não gosta de sair de seu ambiente. Indicação: Pet sitter

Meu pet toma medicação diariamente: se seu pet toma medicação diária, o ideal é que você tenha certeza que a pessoa irá continuar com essa aplicação e de forma correta. Neste caso, ele poderá ficar em qualquer local, desde que a pessoa esteja apta a isso, então se certifique de que a pessoa saiba realmente medicar. Treinamentos e cursos são importantes para quem cuida de animais, exija isso do seu cuidador de animais. Indicação: Pet Sitter, Hotel, ou Hospedagem domiciliar.

Eu tenho receio dos locais e serviços para pets: essa é uma questão comum, com tantos maus-tratos e locais que só cuidam de bichos por dinheiro, a dúvida surge na cabeça dos tutores. Busque então um local com boas indicações, de confiança, quem sabe que possua câmeras. Afinal se não fazem nada de errado não têm motivo para esconder, certo? Existem muitos hotéis que têm câmeras e serviços de pet sitter também. Indicação: Pet sitter ou Hotel

Meu pet é um animal silvestre (roedor, aves, peixes, repteis, etc): Os silvestres se estressam bastante quando saem de seu ambiente. Para eles, o simples transporte pode ser ruim. Se ele já está acostumado a sair, tudo bem deixá-lo em um hotel, mas se ele não está acostumado, deixe-o em casa e chame uma pet sitter que saiba cuidar de animais silvestres. Indicação: Pet Sitter

Meu pet é muito antissocial com outros animais: Ficar dentro de sua casa é a melhor escolha. Até porque raramente hotéis aceitam animais bravos, a hospedagem domiciliar também não é recomendada, a não ser que a pessoa que irá hospedá-lo garanta que ele não terá contato com nenhum outro animal durante a estadia. Indicação: Pet Sitter.

Sempre veja as referências das empresas, saiba quem cuidará do seu amigo. É muito importante saber se existem boas indicações, se a empresa se responsabiliza por possíveis problemas ou se está apenas terceirizando serviços.

Lembre-se sempre: seu animal de estimação é um membro da família e você querer todo o cuidado com ele, certo? Então sempre busque o melhor!

Sete problemas que causam diarreia nos filhotes

Um problema muito comum que acomete filhotes de cães é a diarreia. A gravidade da disfunção intestinal pode variar de leve a muito grave, podendo até ser fatal, dependendo da causa, que nem sempre pode estar relacionada com a alimentação. Confira algumas situações que podem provocar a diarreia:
Vermes

Entre as causas mais comuns da diarreia em filhotes estão os vermes, como lombrigas, tênias e parasitas. Muitos cachorrinhos nascem ou os adquirem logo após o nascimento, a partir do leite da mãe. O ponto positivo é que, na maioria dos casos, os vermes geralmente são fáceis de tratar. Por isso, é importante verificar com o veterinário com que frequência seu cão deve tomar o vermífugo.
Protozoários parasitas

Assim como os vermes, os protozoários parasitas também podem causar sintomas. Eles se alojam no trato gastrointestinal do bichinho. Diferente dos vermes, estes parasitas são organismos unicelulares. Os protozoários mais comuns encontrados nos filhotes são os coccídeos e a giárdia. Esses dois parasitas são razoavelmente fáceis de tratar. No entanto, eles têm facilidade em provocar desidratação, o que pode trazer sérias complicações ao pet.

Mudanças na alimentação

Muitas vezes, os donos mudam a dieta de seus filhotes radicalmente. A intenção pode até ser boa, ao oferecer um alimento mais nutritivo, por exemplo, mas cuidado ao trocar a comida da qual ele está acostumado por outra. Independentemente disso, as mudanças bruscas frequentemente acarretam em problemas para o trato intestinal do filhote e aí se dá a diarreia. O correto é fazer a mudança de forma gradual, num espaço entre 7 e 10 dias. Uma dica é misturar um pouquinho do novo alimento com o que ele está acostumado a consumir. Faça a substituição de forma gradual.

Estresse

O estresse é um fator conhecido como causador de diarreia em muitos de nós e nos filhotes também. Ter sido separado de sua mãe e de seus irmãozinhos, e passar a morar em uma nova casa e ter uma nova família podem ser o suficiente para causar a diarreia em alguns cachorros.
Comer objetos estranhos

Assim como as crianças, os filhotes são curiosos e aprontam das suas. É comum vê-los com objetos estranhos na boca, e é aí que mora o perigo, pois quando ingeridos, podem ser um potencial para a doença. Um sinal que pode denunciar que o bichinho comeu o que não deveria comer é a diarreia. Porém, em algumas situações, esses objetos podem se alojar no estômago ou intestino, causando obstrução e tornando-se potencialmente fatal.

Parvovirose canina

A parvovirose canina, também chamada de parvo ou CPV, é uma doença viral que pode ser facilmente transmitida pelo contato com as fezes de cães infectados. Muitas vezes a parvovirose pode ser fatal para os filhotes. Os sintomas de que os cachorrinhos estão com parvovirose são diarreia, vômitos, falta de apetite, letargia e desidratação.
Coronavírus canino e outras doenças

Além do parvovírus, outros vírus também podem infectar os filhotes e causar diarreia. Entre elas, está o coronavírus canino. Embora não seja tão grave quanto a parvovirose, essa virose pode deixar o cachorro muito doente.

Outros sintomas

Um dos sinais de que o cãozinho está com problemas intestinais é o hábito de comer grama. Isso acontece para estimular o vômito. Perda de apetite, fezes com a presença de muco ou sangue, náuseas, perda de peso e flatulências também podem ser sintomas de problemas no trato intestinal. Fique atento ao comportamento do seu pet!

Como tratar a diarreia em filhotes?

Considerando que as causas podem ser variadas, é necessário que um médico veterinário avalie e dê o diagnóstico do paciente. Com base nisso, ele irá escolher o melhor remédio para diarreia e a dieta ideal para que o animal se recupere.

Se o seu filhotinho está sofrendo de diarreia, não está comendo e estiver vomitando, saiba que isso não se resolve de uma hora pra outra. A melhor coisa a fazer é levar seu pet ao veterinário para uma consulta. Se possível, leve uma amostra das fezes para que o veterinário examine.

Avanços científicos dobram expectativa de vida de animais



por Adilson Félix Fraga Jr.

Especialização de veterinários e adaptações de técnicas e tratamentos aos biótipos de quatro patas aumentaram a média de vida de animais domésticos de 9 para 18 anos.

Com tantos problemas que estamos vivendo ultimamente, com o aumento incessante da inflação, a recessão da economia e o aumento do desemprego, uma excelente notícia para quem cria cães em seus lares. O progresso e a tecnologia da medicina veterinária dobrou a expectativa de vida dos nossos melhores amigos, que passou de 9 para 18 anos. Um dos principais avanços refere-se à especialização dos veterinários, assim como ocorre na Medicina Humana, englobando oncologistas, endocrinologistas e intensivistas.

Nos idos dos anos 70 havia, apenas, um tipo de vacina para a raiva, cuja campanha é de responsabilidade governamental e acontece tradicionalmente no mês de agosto. Atualmente, existem cinco modelos de aplicações que cobrem quinze doenças letais. Os aparelhos de diagnósticos são ultramodernos com capacidade de apontar com eficácia o problema do paciente canino. Tomógrafos mapeiam com excelência todo o organismo do cão proporcionando ao veterinário, uma precisão ao qual ele não dispunha no passado.

Na realidade, a grande sacada da medicina veterinária foi adaptar ao biótipo de quatro patas o que existe de mais avançado na medicina humana. As agulhas para retirada de sangue, por exemplo, nos cães são mais finas, pois os vasos caninos tem a metade do calibre dos vasos humanos. Estes avanços científicos passaram pelas áreas de Genética, Biotecnologia e Fisiologia proporcionando expressivos melhoramentos nos sistemas de produção animal. No setor público, muitos prefeitos e governadores desenvolveram políticas de Saúde Veterinária.

Amor como o melhor remédio: apesar de toda revolução tecnológica e incrementos da veterinária, que permite uma melhor qualidade de vida ao nosso melhor amigo, nada substitui o carinho humano para a plena saúde canina. O animal reconhece o padrão de preocupação humana com as suas dores e esta atitude se constitui numa ferramenta poderosa para a sua recuperação imediata ou no processo de uma cura. Como na nossa vida cotidiana, ambientes agradáveis e seguros proporcionam estágios de maior felicidade, seja para um animal racional ou o dito irracional.

AGRADECIMENTO – FEIJUCA AMIGA VEGANA



Quintal de São Francisco e seus velhuskos, juntamente com o Santuário Terra dos Bichos e as Porcas Marias, AGRADECEM o comparecimento dos Amigos, Colaboradores, Voluntários, Bazaristas e parceiros na Feijuca Amiga realizada no último domingo (28/05). 

Foi um dia agradável e emocionante. A feijoada estava deliciosa, a música, o ambiente e muito especialmente a presença de pessoas queridas que jamais deixam de prestigiar os eventos do Quintal de São Francisco. 

Quintal de São Francisco - abrigo de cães e gatos idosos e indesejados pela sociedade e que possuem necessidades especiais, inerentes a idade. Hoje as despesas mensais giram em torno de R$10.000,00 e R$12.000,00.

Santuário Terra dos Bichos - mantém acolhidos vários animais retirados de sofrimento e de corredor da morte como as mais de 100 porcas "MARIAS", vítimas do caminhão que tombou no Rodoanel, no ano de 2015. Hoje as despesas mensais giram em torno de R$20.0000,00 e R$25.000,00, sendo que a ONG está na eminência de ter os animais recolhidos pela Vigilância Sanitária por não ter local adequado para despejar os dejetos da porcas. Quem puder continuar ajudando pode contribuir na Vaquinha Online para arrecadar o dinheiro necessário. 

Na FEIJUCA AMIGA VEGAN foram vendidos 110 convites que, somados a venda de refrigerantes, resultaram numa valor líquido de R$1788,40 para cada entidade.


SEM A COLABORAÇÃO DE TODOS NÃO TERÍAMOS REALIZADO ESTE EVENTO. 


Obrigada Cintia Frattini, presidente do Santuário Terra dos Bichos, pela parceria !!!


28/05 - 1º VEIJUCA AMIGA VEGAN

A melhor FEIJOADA VEGANA quem faz é a Cintia Frattini, fundadora do Santuário Terra dos Bichos. Você não pode perder a oportunidade de experimentar esta delícia e ainda ajudar duas ONGs de proteção aos animais.
O Santuário Terra dos Bichos se uniu ao Quintal de São Francisco para fazer a 1º FEIJUCA AMIGA VEGAN, com a finalidade de angariar fundos e manter suas atividades.
No evento também haverá um Bazar com produtos de vestuário, decoração, presentes, bijuterias, doces e bolos, música dos anos 60,70,80 e os produtos da Dog’s Sleep para seus peludos neste inverno rigoroso.

Santuário Terra dos Bichos - mantém acolhidos vários animais retirados de sofrimento e de corredor da morte como as mais de 100 porcas "MARIAS", vítimas do caminhão que tombou no Rodoanel, no ano de 2015.
Quintal de São Francisco - abrigo de cães e gatos idosos e indesejados pela sociedade e que possuem necessidades especiais, inerentes a idade.
28/05 das 12h às 17h – à Rua Teodureto Souto, 592 – Cambuci – Paralela da Avenida Lins de Vasconcelos – CONVITE – R$ 50,00 (venda limitada) 11-2062-8263 ou e-mail quintalfrancisco@terra.com.br

video





Gatos ignoram seu chamado propositalmente



Seu peludo não é o único, gatos tendem a ser esnobes, mas sabe por quê?

Estudantes da universidade de Tóquio testaram a relação entre chamados e gatos. Para isso, pediram a 20 donos de gatos para gravarem a própria voz enquanto chamavam pelo bichinho.

Então visitaram as 20 casas testadas. Quando os donos não estavam perto dos pets, colocaram as gravações para tocar, primeiramente dos donos e depois de outros três estranhos, ambos chamando por eles.

Foi analisada a forma que os bichanos moviam as orelhas, rabo e cabeça, dilatação dos olhos e se mexiam as patas. A resposta era maior quando era a voz dos donos frente às demais gravações. Mas o fato é que os gatos preferiam não sair do lugar.

Em resumo, a pesquisa mostra que os gatos não atendem aos donos quando estão fora do alcance de sua visão, mesmo reconhecendo a voz.

Diferentemente dos cães, gatos não foram domesticados para obedecerem a ordens vindas de humanos. Eles são independentes, o que às vezes é confundido com arrogância.

De qualquer forma, não deixam de ser fofos e apaixonantes.

Fonte: Superinteressante